Equipe

5. Depoimentos de ex-professores

  • Ádini L. Nunes Thurck

    Trabalhei no Celin de 2004 a 2008. Um período essencial para minha formação e para minha carreira como professora de Língua Inglesa. Tive um apoio pedagógico muito intenso, que me fez compreender coisas que talvez não compreendesse se não tivesse tido essa experiência. O principal disso tudo foi entender que dar aula não é simplesmente entrar na sala e pedir aos alunos que abram o livro e façam alguma atividade, mas organizar e preparar cada aula como se fosse única. O Celin trouxe além de muitos ensinamentos práticos e teóricos, uma interação de extrema importância para minha formação: a troca de experiências com os colegas de trabalho, a troca de atividades, angústias, ansiedades, conquistas... Um período que marcou não só minha formação, minha carreira, mas também minha vida. Atualmente estou fazendo mestrado na UFV, na área de ensino de línguas e me preparando para ser uma professora universitária.

    Novembro de 2011.


  • Alice Cassiana de Lima

    Eu tive o privilégio de participar do CELIN como aluna e por um ano como instrutora e posso afirmar, com muita certeza, que foi um período de grande aprendizagem para mim. Após a formatura, voltei para minha cidade natal e comecei a lecionar em uma escola pública, onde coloquei em prática o que aprendi no CELIN. Acredito que a oportunidade de trabalhar  e conviver com os excelentes profissionais do curso de extensão auxiliou e facilitou muito minha prática como professora, principalmente no início da carreira. Trabalhei nessa escola por cerca de quatro anos, no entanto, ao sentir a falta de valorização que existe em relação aos professores do ensino básico, decidi buscar novas oportunidades. Atualmente, trabalho nos Correios como atendente comercial, função resultante do concurso público realizado em meados deste ano; pretendo fazer uma nova faculdade e crescer profissionalmente na empresa. Considero essa nova fase um grande desafio e estou certa de que o conhecimento que adquiri no CELIN, tanto como aluna quanto como instrutora, será de extrema importância nesse momento.  Agradeço muito o apoio da Ana e da Cristina, pessoas que sempre me incentivaram e quem eu admiro muito. Abraço a todos.

     

    Novembro de 2011.


  • Anderson Ferreira Gonçalves

    I think, I'm never sure about time, I worked at CELIN from 2004 to 2007. Again, I'm not sure. What I am sure of is that CELIN was paramount to my development as a teacher of English. Every time I have a class to prepare or a test to make or an activity that's not going well and I have to make do, I pull out my CELIN card from up my sleeve and SHAZAM! I'm not naked in class anymore. If I could pass on to others one thing that CELIN taught me it'd certainly be that we, teachers, will always be students. We will never cease to be students. Whenever I thought I knew it, CELIN taught me I should prepare myself a bit more. We not just taught at CELIN. We learned from each other, from the teacher-supervisors, from the students, from the seminars and projects we had to make. It was one of the most improving periods of my life. 

    After CELIN, I worked at REC, Number One, then REC again. Today I work at FISK and at ColégioEquipe, in Rio Casca. Someday, somehow I wish I'll be back at CELIN. I don't really know why. I just do. Maybe it is the atmosphere I miss so much. Not that I don't have it where I am now. It's just that I was part of that atmosphere. I helped create it. Nilce, Anita, Alexandre, Jefferson, Rodrigo, PatriciaBotelho, Douglas, Leo, Edson, Ruzenberg (Sorry about the spelling of this guy's name. His folks made it really hard for all of us.), and a load of others I apologize for not naming here who made CELIN a good place in my memory. There were bad moments. Of course! Life is full of those. All I got from such bad moments was LEARNING, though. And we had our share of fun out of it. We sure did. We fought so much to keep CELIN going. Perhaps, the newcomers will never know about this, but I once got a stupid joke told by the President of the university at that time trying to keep our course alive. Of course, the part I played in it might've been a tiny one. But still, I walked the extra mile. I miss everyone so much. Whenever I walk into the Language Departament, I think of my time at CELIN. 

    In a nutshel, a big chunk of what I am today as a teacher I owe it to CELIN. Thank you! Thank you! Thank you!

    Big hugs and all the best!  

    Novembro de 2011.


  • David Aponte Acosta

    A curiosidade é o que nos inspira para aprender; a aprendizagem mútua é o que mantém esta curiosidade. O CELIN não somente me ensinou como manter a curiosidade dos meus alunos, mas também me inspirou para aprender através das aspirações deles e motivá-los para ampliar os seus conhecimentos da minha língua nativa. Em 2011, eu estudei na Universidade Federal de Viçosa como intercambista. Sou porto-riquenho, mas fui criado nos EUA. Devido à minha participação no CELIN como professor, não somente ensinei inglês, mas também melhorei o meu nível de português. Compreendi a língua dos meus alunos e as dificuldades gramaticais e estruturais que eles enfrentaram; neste aspecto, eu concebi as suas lógicas e como, exatamente, eles relacionam outra língua a sua própria. Eu atribuo as lições supracitadas que adquiri na minha vida cotidiana, quer seja num intercâmbio casual com um estrangeiro, quer numa interação com um grupo de pessoas que procura aprender e/ou melhorar o seu inglês. Orgulhosamente, eu digo que os meus alunos foram a minha maior motivação. Tive a oportunidade de compartilhar com estudantes universitários da minha própria idade e de promover e implementar atividades interculturais. A língua vai além das palavras; vai na compreensão das várias culturas que a constitui. O CELIN ajudou-me a apreciar a língua em si e como nos une não somente como seres humanos, mas como alunos diários. Graças ao mesmo, ganhei uma grande e inequívoca perspectiva, a qual me fez apreciar ainda mais o Brasil. Obrigado a Dra. Ana, a Dra. Hilda, a Douglas e a todas as secretárias do CELIN por esta oportunidade. Agradecendo-lhes profundamente, apresento os meus melhores cumprimentos. Saudações da Flórida!

     

    Julho de 2013.


  • Gláucio Fernandes

    Relatar a minha experiência no CELIN é algo muito gratificante.Trabalhei no CELIN no último ano de minha graduação / 2008. Esse foi o meu primeiro contato em uma sala de aula de língua inglesa como professor. Durante esse ano me dediquei às aulas e aos meus alunos, aprendendo muito com ambos. Aprendi a lecionar e a ser professor. Aprendi que esse era o meu trabalho e isso era o que eu queria fazer. O aprendizado que tive no CELIN foi algo grandioso. Ao terminar minha graduação me senti seguro para entrar no mercado de trabalho, assim como me senti um profissional pronto e com vontade de aprender cada dia mais. Me formei em fevereiro de 2009 e em março comecei a trabalhar no IFMG – Campus Ouro Preto como professor substituto. Nesse instituto pude colocar em prática todo o meu aprendizado no CELIN. Hoje trabalho no FISK – Ouro Preto e faço mestrado na UFMG na área de Linguística Teórica e Descritiva. Agradeço ao CELIN pelo aprendizado e pela experiência.

    Outubro de 2011.


  • Hanna Carvalho Vita Aragão

    Trabalhei no Celin de 2005 a 2008. Para mim, particularmente, o Celin significou crescimento pessoal, auto-conhecimento, muito aprendizado não só nos estudos, mas de vida, além de ter me proporcionado muitos amigos, alegrias e experiencias que irei levar para a vida toda. O tempo que passei no Celin, me fez reconhecer meus limites e aprender a superá-los.Eu era muito tímida e não me achava muito capaz de alcançar os meus objetivos, até que aprendi que devemos enfrentar os desafios e as nossas inseguranças, e que coisas boas virão com esforço, garra e determinação. Até hoje lembro do 1º dia que dei aula, estava insegura, tímida, e com muito receio, mas deixei tudo de lado e fui em frente. Venci o medo, superei obstáculos, perdi mais a timidez, aprendi a ser mais comunicativa e hoje levo comigo todas as conquistas provenientes dessa experiencia. Hoje não estou atuando mais na área do ensino de línguas, mas sei que todo o aprendizado, toda a experiencia que tive no passado foi válida e me rendeu ótimos frutos, dos quais, até o presente momento me ajudam a persistir e a seguir em frente com determinação. Atualmente estudo Nutrição em Belo Horizonte, mas ainda carrego comigo todos os frutos do meu trabalho e da minha experiencia como estagiária do Celin. Sou muito grata a todos que de alguma forma me deram apoio e me ajudaram a me profissionalizar e a superar meus limites, em especial o Celin e toda a sua equipe (coordenadores, professores, colegas, secretárias e alunos), que sempre foram muito especiais, pacientes e amáveis. 

    Obrigada. Espero ter contribuído a todos do Celin, da mesma forma que contribuíram para o meu crescimento.

    Novembro de 2011.


  • Isadora Xisto Campos

    Hoje completo quatro meses morando nos Estados Unidos, na cidade de Arlington no estado da Virginia, um lugar lindo, que fica somente a alguns minutos da capital, Washington Dc e onde estou tendo momentos maravilhosos.
    Escrevo hoje com um carinho e uma saudade enorme de cada um da equipe CELIN e pra poder fazer alguns agradecimentos que já deviam ter sido feitos antes.
    Cada dia aqui tem sido de muito aprendizado e de batalhas diarias, mas estas seriam muito mais dificeis se eu nao tivesse tido a oportunidade de crescimento que obtive no CELIN.
    Comeco agradecendo a Ana, por ser pra mim, um exemplo de sabedoria, de inteligencia, de carater e de profissional. A Hilda, por ser esse amor de pessoa sempre e por ter sido uma das professoras que ainda no colegio me incentivou a gostar de ingles e assim chegar onde estou hoje. Ao Rafael Barcellos por todo o conhecimento ensinado, dedicacao e humildade. A cada secretaria, Isabela, Larissa, Nina, Isis por fazerem do impossivel possivel para nos ajudar. A Ádini pela amizade, carinho, compreensao e suporte em toda minha caminhada. Por ultimo mas nao menos importantes os meus colegas de trabalho, com quem compartilhei momentos impares e me ajudaram em cada etapa desse crescimento, o meu MUITO obrigada e o desejo de sucesso constante.
    Espero voltar em breve e poder continuar ajudando a construir essa historia linda.

    See you soon,
    Isadora Xisto.

     

    Setembro de 2015.


  • Julia Neves Chálabi

    Desde março deste ano estou morando em Belo Horizonte e cursando o mestrado da UFMG em Estudos Literários, mais especificamente Literaturas de Expressão Inglesa. Estou adorando a oportunidade e acredito estar crescendo muito pessoalmente e profissionalmente! A UFV foi parte essencial neste processo acadêmico e pessoal, e o CELIN está inserido nesta minha caminhada, onde lecionei de 2007 até 2010, se não me falha a memória! O CELIN não foi a minha primeira experiência profissional, mas foi nele que pude experienciar de fato um contexto mais acadêmico, com o qual mais me identifico. Foi no CELIN também que recebi liberdade pedagógica para experimentar e buscar conhecer e exercer meu estilo de lecionar.  Lá a convivência e a troca com colegas, secretárias e coordenadoras mostrou-se muito enriquecedora. Foi muito estimulante sentir a confiança que o curso tinha em mim e no meu trabalho. Pude me sentir mais segura profissionalmente e ampliar meus conhecimentos da língua e de como ensiná-la. Certamente a temporada no CELIN foi uma vivência muito importante na minha trajetória e lembrarei sempre com muito carinho. 

    Novembro de 2011.


  • Luisa Bourjaille

    Os dois anos em que trabalhei no CELIN me renderam muitas lições que incentivaram o meu crescimento não só profissional como também pessoal. Ensinar e aprender requer a habilidade de saber lidar com mudanças, a fim de nos aprimorarmos cada vez mais. Antes a aceitação de aprender com o erro para então conseguir abrir a cabeça para as novas ideias, e nesse sentido reflexão é fundamental. Esse foi um dos meus maiores aprendizados enquanto estive no CELIN. Além disso, vivenciar uma sala de aula me fez perceber de uma maneira mais real as dificuldades e necessidades dos alunos, e ao mesmo tempo as minhas como professora. Isso abriu portas pra diversos questionamentos e despertou ainda mais o meu interesse pela profissão. Tenho forte admiração pela Língua Inglesa e continuo estudando, no momento na Irlanda, o que tem sido uma experiência enriquecedora. No meu dia a dia  tenho aprendido muito e buscado ainda mais, quanto mais sei mais percebo o quão infinito é aprender, o que não deixa de ser muito gratificante. A oportunidade de experienciar uma sala de aula de Língua Inglesa iniciou-se no CELIN e tem refletido constantemente no meu desenvolvimento como professora da língua.

    Novembro de 2011.


  • Márcia Bento Zanoteli

    Fui professora do CELIN de 2007 a 2009 e foi uma experiência ótima. Se não fosse o convite das professoras coordenadoras para que eu fizesse o TTC, eu provavelmente teria desistido da sala de aula. O CELIN resgatou a minha vontade de ser professora. Tenho os muito carinho pelos meus ex-alunos do CELIN, que foram importantíssimos para o início da minha caminhada como english teacher. O cuidado com a nossa formação como futuros professores é algo de que nunca me esquecerei. Foi essencial ter uma supervisão tão próxima e que buscava sempre trazer novidades da linguística aplicada ao ensino, para nós estagiários. As palestras e simpósios promovidos pelo curso foram uma grande motivação para que também me interessasse pela pesquisa sobre o ensino, como também muitos colegas do curso de Letras. Posso dizer que ter o CELIN no meu currículo me abriu muitas portas.  Nunca me esqueço das lições do TTC e tenho guardado todo o material, que vivo consultando novamente. Tenho muito orgulho de ter sido parte da equipe do CELIN e adoro contar sobre essa experiência para meus amigos que estão começando a dar aulas. Já fui professora do CCAA Barreiro, BH, hoje sou professora das oficinas de inglês do Espaço Criança Esperança, em Belo Horizonte, e faço parte de uma turma incrível que também ama ensinar inglês na PUC Minas. Sinto muitas saudades do CELIN e de todos que partilharam esse tempo e lugar comigo!

     

    Junho de 2013.


  • Natália Eliza Novais Alves

    Trabalhei no CELIN de Janeiro de 2006 a Março de 2007. Ter tido essa experiência me ajudou muito quando me formei, o CELIN foi um laboratório primordial na minha formação profissional e muita coisa que aprendi no TTC e nas reuniões pedagógicas me auxiliaram e auxiliam até hoje em sala de aula. Assistir aulas dos meus colegas, compartilhar práticas pedagógicas e ter a prática associada à teoria foi essencial para a construção do meu perfil de professora de Língua Inglesa. Após me formar trabalhei em escolas públicas e privadas e em cursos privados de idiomas nas cidades de Santa Bárbara e Barão de Cocais. Atualmente integro a equipe da Superintendência de Nova Era como Analista Pedagógica de Língua Inglesa em um projeto da Secretaria de Educação de Minas Gerais que tem o objetivo de atuar com a Intervenção Pedagógica e Implementação dos CBCs nas escolas públicas estaduais de todo o estado.

    Novembro de 2011.


  • Patrícia Lacerda Faria Rocha

    Tudo começou quando decidi participar do TTC (teacher’s training course) como forma de recuperar a fluência perdida, ainda sem grandes pretensões. Ao final do curso preparatório, percebi que havia sido aprovada e começaria a dar aulas no período seguinte, isto é, no primeiro semestre de 2006. Ainda durante as aulas do TTC, percebi que tal preparação seria fundamental para a carreira que, desde então, tinha a certeza de que seguiria. Durante a prática em sala de aula, pude realmente entender o que significava ser professora de inglês, desde a elaboração dos planos de aula, até a maneira de me relacionar com os alunos. Enfim, todas essas questões puderam ser colocadas em prática nesse período de estágio. As lições aprendidas foram valiosas não apenas no que diz respeito ao ensino de línguas, mas também em relação à prática pedagógica em geral. Permaneci trabalhando nos mais variados níveis até o segundo semestre de 2009, sempre muito grata a tudo que pude aprender no celin. Atualmente, leciono inglês para turmas de primeira e segunda séries no Cap-Coluni.

    Novembro de 2011.


  • Relines Rufino de Abreu

    I was part of CELIN’s family  from 2007 to 2009. The benefits of this experience are uncountable. First, because it was there that I started understanding that is like to be in a classroom for the first time in my life. I could also develop my skills, get to know people from different areas of knowledge and exchange experiences with my colleagues. The opportunity of having someone giving me support and directions concerning teaching methodology was one of the best contributions to my professional growth. In my opinion,preparing students to follow an English teacher career is to provide them freedom to make mistakes and to analyze their own feelings and thoughts in order to improve learning. At CELIN, I could test some methods of teaching and also try to build consciousness of being an English teacher means. There is no other place that gives freedom to teachers as CELIN. Nowadays, I’m studying Canadian Literature in a Masters course and I’m very grateful of having had this experience at CELIN.

    Novembro de 2011.


  • Ronaldo Gomes
    http://www.letras.ufmg.br/ingrede

    Fui professor do CELIN por três anos (2005-2008). Após a conclusão do curso de Letras me mudei para Belo Horizonte para cursar o Mestrado em Linguística Aplicada na UFMG. Hoje, após a conclusão do mesmo, sou professor de Inglês no Ensino Fundamental no Centro Pedagógico da UFMG. Além disso, faço parte de alguns projetos da Faculdade de Letras. Sou tutor do Projeto IngRede - Inglês em Rede, que oferece disciplinas online de Inglês Instrumental para a comunidade acadêmica da UFMG e membro da Taba Eletrônica (http://taba.ufmg.br), um projeto de extensão que busca oferecer ambientes de letramento digital para professores que estejam interessados em aprender e ensinar modos de pensar e utilizar ferramentas ligadas às tecnologias da informação e da comunicação. Fazer parte do CELIN, com certeza, fez toda a diferença em minha formação. Muitos momentos foram marcantes em minha história como um Teacher CELIN: O excelente Teachers' Training Course, a constante e cuidadosa orientação das Coordenadoras, o convívio com os professores e secretárias, o incentivo à formação continuada, o apoio à pesquisa, dentre muitos outros que claramente ajudaram construir o Teacher Ronaldo. Quando penso na influência do CELIN no profissional que sou hoje, percebo que foi lá o lugar onde percebi a responsabilidade que carrego ao assumir a profissão de professor. Sou eternamente grato à Família CELIN, por ter sido o lugar que me deu a oportunidade de ensinar, aprender e, principalmente, aprender a aprender.

    Outubro de 2011.


  • Thiago Marcel Moyano

    Fui estagiário do CELIN entre os anos de 2006 a 2008 e depois de um ano, em 2009 e 2010. Assim, pode-se dizer que a extensão foi concomitante à quase toda minha graduação na UFV. Fico muito feliz de poder escrever um pouco sobre essa experiência: desde o Teaching Training Course à vivência de sala de aula, acredito que este laboratório tenha cumprido com um de seus principais objetivos na formação dos alunos de letras do DLA. As disciplinas do curso propiciam um espaço vital de leitura e discussão  de questionamentos que perpassam a profissão a qual estamos nos preparando, mas ter a oportunidade de se ver na posição de professor ao longo desse percurso me ajudou bastante a compreender e a elaborar as reflexões do meu eu-aluno.  Além de ter tido a chance a aprender muito com meus alunos (de áreas diferentes na universidade), também posso dizer que o CELIN me deixou à vontade com o ambiente e todas as mais diversas situações que uma aula pode gerar: acho que o Centro de Extensão nos ajuda, alunos de letras, a construir uma identidade de professor, bem como uma postura profissional que certamente tem me gerado bons frutos. Depois da formatura em agosto de 2011, me despeço de Viçosa para ingressar em um programa de mestrado de São Paulo. Seguindo essa estrada acadêmica, tenho certeza que também continuarei dando aulas de inglês, me aprimorando, certamente, mas sempre reconhecendo os passos dados até aqui. 

    Novembro de 2011.